BUSCA

Programa subsidiará serviços técnicos do IPT em quatro municípios

compartilhe:


A Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia (SDECT) assinou na terça-feira (26/06) convênios com quatro prefeituras paulistas para a liberação de recursos do Programa de Apoio Tecnológico aos Municípios (Patem): Bom Jesus dos Perdões, Iperó, Novo Horizonte e Tatuí.

O Patem financia serviços especializados do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) para obtenção de laudos técnicos em municípios de pequeno e médio porte. Os temas trabalhados pelo programa incluem planejamento territorial, obras de infraestrutura pública, defesa civil, mineração, cerâmica, resíduos sólidos, recursos hídricos, agricultura irrigada, habitação, distritos industriais, turismo e arranjos produtivos locais.

Os convênios garantirão estudos importantes para o desenvolvimento econômico e sustentável de cada região. O trabalho realizado por profissionais do IPT incluirá o mapeamento de áreas de riscos, capacitação de equipe para a reciclagem de resíduos de construção e demolição e avaliação do potencial geológico para a atividade de mineração.

Em Bom Jesus dos Perdões, a verba será destinada ao Plano Municipal de Redução de Riscos. O trabalho, com prazo de execução de oito meses, abrangerá o mapeamento das áreas de risco de escorregamentos e solapamentos de margem no município. O valor total do convênio é de mais de R$ 195 mil.

O município de Novo Horizonte contará com uma capacitação destinada à reciclagem de resíduos de construção e demolição, a partir da operação da unidade de baixo custo do IPT e da realização de um trecho experimental de revestimento primário de via com materiais reciclados. Para isso, serão destinados R$ 173,5 mil e o trabalho será executado no prazo de seis meses.

Em Iperó serão realizados estudos prospectivos dirigidos à avaliação do potencial geológico para a ocorrência de depósitos minerais e caracterização da atividade de mineração. O valor total será de R$ 165 mil. O levantamento deverá ser concluído em seis meses.

Em Tatuí, serão realizados o diagnóstico e a análise de risco de queda de árvores da espécie popularmente conhecida como jatobá. Serão investidos R$ 9.162,60. O estudo deverá ser concluído em um mês.

Mais informações: www.desenvolvimento.sp.gov.br

Fonte: Agência FAPESP

RBCM. Laboratório de Investigação do Espaço da Arquitetura. Departamento de Arquitetura e Urbanismo. Centro de Artes e Comunicação. UFPE . Recife — PE. (81) 2126.7362