BUSCA

Transferências sociais melhoram renda na Paraíba, segundo IPEA

compartilhe:


O diretor de Estudos e Políticas Sociais do Ipea, Jorge Abrahão, apresentou indicadores socioeconômicos da Paraíba em coletiva pública nesta quinta-feira, dia 17, no Centro Público de Emprego, Trabalho e Renda de Campina Grande. Entre os dados, o diretor destacou que cerca de um terço da renda das famílias do estado provém de transferências sociais. No Brasil, a média é de um quinto da renda.

“45% da renda dos domicílios rurais da Paraíba vem dessas transferências, que tem um grande impacto para a economia local, criando oportunidades de desenvolvimento”, afirmou Jorge Abrahão. O pesquisador apontou também os fatores críticos que impedem o crescimento inclusivo do estado como o aumento de 72% na taxa de homicídio dos jovens homens, entre 2001 e 2009, e o acesso à internet em apenas 1,5 % dos domicílios rurais, em 2009.

Apesar de a extrema pobreza ter caído 46% entre 2001 e 2009 no estado e a renda per capita aumentado 47% neste período, Jorge alertou para os patamares ainda muito elevados da desigualdade. “O Brasil não tem solução se a Paraíba não tem solução. Por isso, é imprescindível olhar nessa perspectiva diferenciada, local, e não homogênea.”

O prefeito de Campina Grande, Veneziano Vital do Rego, participou da mesa de abertura e ressaltou a escolha da cidade para sediar a Conferência do Desenvolvimento. Também estavam presentes na coletiva pública o Secretário de Desenvolvimento Econômico, Gilson Lira, Secretária de Coordenação Política da Prefeitura, Lídia Moura, a coordenadora do Centro Público de Emprego, Trabalho e Renda, Flávia Maria Barbosa, e o Secretário de Planejamento, Ricardo Pedrosa.

Fonte: Portal IPEA

RBCM. Laboratório de Investigação do Espaço da Arquitetura. Departamento de Arquitetura e Urbanismo. Centro de Artes e Comunicação. UFPE . Recife — PE. (81) 2126.7362