BUSCA

Barcelona aumentará a construção de habitação social para lutar contra a gentrificação

compartilhe:


A cidade de Barcelona permanece firme em sua luta contra os processos especulativos e a gentrificação que atualmente estão aumentando a desigualdade de oportunidades que a população encontra para acessar uma moradia digna e economicamente viável.

Neste sentido, a Comissão de Ecologia, Urbanismo e Mobilidade da cidade de Barcelona aprovou inicialmente dois novos instrumentos urbanísticos para abordar o problema do acesso a moradia digna e proteger o equilíbrio social dos bairros, respondendo às demandas promovidas por entidades como a Federação das Associações de Moradores e Vizinhanças de Barcelona (FAVB), Plataforma de Atingidos pela Hipoteca (PAH), Observatório DESC, Assembleia de Bairros de Turismo Sustentável (ABTS) e Sindicato dos Inquilinos.

Cerca de 334 novas habitações públicas por ano em promoções privadas
A primeira dessas ferramentas para atuar no mercado imobiliário é uma modificação do Plano Geral Metropolitano (MPGM) que estabelece que empreendimentos residenciais de mais de 600 metros quadrados de área construída devem alocar 30% da área para habitação de proteção oficial.

Isso afeta tanto a nova construção quanto as promoções de reforma. As habitações protegidas serão de um regime geral e estarão sujeitas ao direito de preferência e retração pela Câmara Municipal de Barcelona.

Desta forma, estima-se que conseguirá aumentar o estoque de moradias populares em cerca de 334 novos apartamentos a cada ano, o que representa 30% das 1.114 novas residências que foram construídas anualmente entre 2008 e 2016 em terrenos urbanos consolidados da cidade.

A introdução desses mínimos garantirá a correta distribuição territorial do estoque habitacional protegido e impedirá que eles se concentrem em certos bairros periféricos onde já existe moradia protegida. Desta forma, mais de 50% das novas moradias populares estarão localizadas nos bairros centrais, onde é necessária a moradia protegida e onde a gentrificação e a expulsão do bairro são mais afetadas.

Esta é uma proposta já prevista na Lei de Desenvolvimento Urbano e na Lei Catalã sobre o Direito à Moradia de que o Conselho desenvolverá de maneira inovadora para envolver os incorporadores privados no retorno social da construção habitacional.

Direito de compra preferencial em certas parcelas em toda a cidade
A segunda das medidas aprovadas pelo conselho da cidade de Barcelona é outro MPGM que declara todo o município de Barcelona como uma área com direito de preferência e retratação. O objetivo é que o Município tenha o direito de compra preferencial na compra e venda de determinadas propriedades ou lotes que estão sendo vendidos, e que possam adquiri-los pelo valor registrado na transação.

Este novo instrumento servirá para deter operações claramente especulativas que provoquem a expulsão de bairros e operações no mercado negro. Além disso, você terá um melhor conhecimento em tempo real das transações que ocorrem na cidade. Essa medida será aplicada por seis anos, prorrogáveis por mais seis anos, e incluirá edifícios multifamiliares, propriedades verticais, terrenos não construídos, edifícios em más condições, casas sujeitas a impostos sobre casas vazias e moradias protegidas.

A prefeita de Barcelona, Ada Colau, agradeceu o trabalho realizado pelas organizações que promovem as iniciativas para que hoje Barcelona possa dar "um passo decisivo para reverter o processo de especulação habitacional que há anos vem lutando caso a caso". "Celebramos que temos uma maioria suficiente para levar adiante uma medida essencial para mudar o paradigma", reafirmou, e ressaltou que as mudanças servirão para envolver promotores e agentes imobiliários na garantia do direito à moradia digna, já que "por anos eles fizeram exercícios obscenos e não assumiram qualquer responsabilidade pelos danos que causaram a muitas pessoas."

Fonte: ArchDaily Brasil

RBCM. Laboratório de Investigação do Espaço da Arquitetura. Departamento de Arquitetura e Urbanismo. Centro de Artes e Comunicação. UFPE . Recife — PE. (81) 2126.7362