BUSCA

O estudo que lista a área urbana mais densa de cada país da Europa

compartilhe:


Maior parte dos bairros foi construída entre 1850 e 1914 com o propósito de fornecer moradias para trabalhadores da indústria

O quilômetro quadrado de maior densidade populacional da Europa fica perto de Barcelona, na Espanha. Está em L’Hospitalet de Llobregat, cidade ligada à indústria têxtil que se juntou à vizinha capital da Catalunha ao crescer, entre os séculos 19 e 20. Suas ruas são estreitas e ocupadas majoritariamente por prédios de quatro ou cinco andares. Nesta parte de L’Hospitalet de Llobregat vivem 53.119 pessoas em um quilômetro quadrado. Para efeito de comparação, o distrito mais denso da cidade de São Paulo é a Bela Vista, com 26.715 habitantes por quilômetro quadrado. O município com maior densidade demográfica no país é São João de Meriti, na região metropolitana do Rio de Janeiro, com pouco mais de 13 mil habitantes por quilômetro quadrado. De volta à Europa, um pesquisador britânico listou as áreas mais concentradas de 39 países do continente, com mapas aéreos de cada um. Alasdair Dae, do departamento de estudos urbanos e planejamento da universidade de Sheffield, dividiu o mapa da Europa em áreas de um quilômetro quadrado para fazer o levantamento. Ele publicou os resultados em seu blog. Dae também disponibilizou uma foto aérea para cada umas das 39 áreas.

Paralelamente, o especialista em habitação inglês Dan Cookson criou um mapa interativo, a partir da pesquisa de Dae. As dez regiões mais densas são:

Espanha - L’Hospitalet de Llobregat - 53.119 hab/km2
França - Goutte D’Or, Paris - 52.218 hab/km2
Polônia - Nowe Miasto, Sczczecin - 32.752 hab/km2
Bélgica - Saint-Josse-Ten-Noode, Bruxelas - 29.100 hab/km2
Grécia - Zografos, Atenas - 28.880 hab/km2
Suécia - Southwest Södermalm, Estocolmo - 26.120 hab/km2
Bulgária - Belite Brezi, Sofia - 23.934 hab/km2
Holanda - De Pijp, Amsterdã - 23.485 hab/km2
Alemanha - Northern Neukölln, Berlim - 23.379 hab/km2
República Tcheca - Žižkov, Praga - 23.249 hab/km2

Bairros de trabalhadores

Um artigo do site de urbanismo The CityLab observa que a maior parte das regiões foi construída na mesma janela de tempo: entre 1850 e 1914. Entre países da Europa ocidental, apenas a Grécia e a Islândia ergueram suas áreas mais densas depois da Primeira Guerra Mundial (1914-1918). E, apenas em um país, a área mais concentrada data de antes de meados do século: a área de Nápoles conhecida como Pendino, que se originou antes do século 17. Das dez áreas mais densas (listadas acima), oito foram construídas inicialmente para abrigar famílias das classes baixa e média-baixa. Seu surgimento está relacionado a um momento em que a Europa se industrializava, mas suas redes de transporte público ainda eram rudimentares. Isso gerou a demanda por novos bairros centrais que tinham como propósito acomodar os trabalhadores das fábricas, que poderiam andar até os locais de trabalho. Essas áreas eram comumente caracterizadas por ruas estreitas e má qualidade de vida.

De acordo com o urbanista Andreas Schulze Baing, em entrevista ao CityLab, inovações na construção civil permitiam fazer prédios mais altos de forma mais barata e prática. Foi o início de uma Europa em que os prédios tinham mais andares. Muitas destas áreas, como De Pijp, em Amsterdã, que era ocupada por cortiços, hoje se encontram completamente renovadas.

Link para matéria completa: https://www.nexojornal.com.br/expresso/2018/03/30/O-estudo-que-lista-a-%C3%A1rea-urbana-mais-densa-de-cada-pa%C3%ADs-da-Europa?utm_campaign=Echobox&utm_medium=Social&utm_source=Facebook

RBCM. Laboratório de Investigação do Espaço da Arquitetura. Departamento de Arquitetura e Urbanismo. Centro de Artes e Comunicação. UFPE . Recife — PE. (81) 2126.7362